Termos comuns do marketing digital

Termos comuns do marketing digital

Landing page, leads, links patrocinados, bounce rate

Para compreender as próximas etapas que pretendemos compartilhar, é preciso compreender alguns termos.

Vamos começar com os leads. Mas, o que é um lead? Um lead é o cliente em potencial. Eles ainda não são clientes, devem ser atraídos para se tornarem clientes da sua empresa, e isto se faz hoje em dia fornecendo conteúdo de qualidade. Um lead é convertido quando ele cumpre o objetivo principal de uma página. Por exemplo, ele baixou algum material disponibilizado pela empresa, fez seu cadastro, respondeu uma pesquisa, pediu um orçamento, se registrou para um teste gratuito, entre outras possíveis iniciativas. Muitas dessas conversões se dão a partir do que chamamos Landing Pages. Essas landing pages, ou páginas de destino, são páginas dedicadas exclusivamente a um tipo de elemento, em troca de algo. Por exemplo, vamos supor que a página ofereça material gratuito de interesse do cliente ou ele seja inserido em uma promoção. Mas para que ele receba esse material ou seja inserido é necessário que ele faça um cadastro. Essa informação repassada pelo usuário poderá ser usada para investir nesse cliente, e com isso tentar a tão desejada conversão. Outra iniciativa interessante a ser usada em marketing digital é o uso de links patrocinados. Esses links patrocinados são anúncios encontrados em sites de busca na Internet. Eles estão no topo por terem pago ao site de busca para estarem naquela posição. Mas uma das mais importantes é o uso de mídias sociais. Note que há uma diferença sutil de mídia social e rede social. As redes sociais são os relacionamentos interpessoais, criados com o objetivo de compartilhar objetivos e valores em comum. Nós já temos nossas redes sociais, de amigos, familiares, colegas de trabalho… E em muitos casos, o meio de contato dessa rede social é através da Internet. Logo, uma rede social, na Internet, é um site que permite estabelecer esses relacionamentos, e interagir com pessoas. Podemos citar, como exemplos de redes sociais:

Ainda podemos citar o marketing viral e o marketing de conteúdo. O marketing viral é uma ação feita em uma campanha (ou a campanha toda) que se espalha de uma forma desordenada e rápida – como um vírus – e obtém sucesso de forma espontânea. Lembramos de vários “memes de Internet”, que se alastraram de forma viral, e são lembrados até hoje. Quanto ao marketing de conteúdo, ele é aquele que é produzido a partir de conteúdo relevante e direcionado ao seu público alvo. Clientes procuram informações interessantes e úteis, às vezes apenas tangenciando sua área de atuação. Por exemplo, uma empresa de suporte em informática pode fazer postagens em redes sociais falando sobre questões relacionadas à segurança. A empresa não ganhará nada imediatamente com essa ação, mas é certo que será lembrada pelo menos por alguns clientes quando o assunto for colocado à baila. Assim, leads são atraídos e convertidos. Ainda podemos citar o e-mail marketing como uma das iniciativas. O e-mail marketing é uma lista de e-mails que o cliente (lead) pode assinar, e receber informações a respeito de um determinado produto ou informações que sejam relevantes para ele – fazendo uso de marketing de conteúdo, por exemplo. Mas cuidado, é fundamental saber lidar com os e-mails, para que eles não sejam confundidos com os tão detestados SPAMs (e-mails não solicitados), e que até hoje atormentam nossas caixas postais.

Todas essas iniciativas podem ser agregadas em campanhas. Elas são ações desenvolvidas para diversos fins: Ampliar a exposição de uma marca; aumentar a sua abrangência no mercado; apoiar a venda dos produtos. Logo, são ações estratégicas que ajudam as empresas a alcançarem metas. O objetivo final de toda campanha é fazer com que o maior número de clientes (leads) passem pelo funil de vendas. Essa analogia com um funil é uma maneira de entender o quão próximo de ser tornarem clientes, os seus leads são. E dessa forma, tratá-los de acordo. Assim, queremos que a taxa de conversão seja a maior possível. Seja preenchendo um formulário, seja respondendo a um questionário, seja adquirindo um produto ou serviço. Quanto maior a taxa, melhor. Já o bounce rate desejado é o menor possível. O bounce rate é a taxa de cancelamento de um produto ou serviço. Em serviços com modelo de assinatura, por exemplo, isto é uma medida clara de satisfação com o serviço. Se há muitas desistências, há uma insatisfação generalizada. Finalmente, o objetivo último de uma campanha é: passar o maior número de clientes pelo funil de vendas; minimizar o bounce rate; maximizar a taxa de conversão. Veremos então como podemos fazer isso, com uma ferramenta de automação de marketing apropriada.



Compartilhe:


CEO do site Registro Jurídico - [email protected]

Seja correspondente jurídico na sua cidade!

O Cadastro e Recebimento de diligências é GRÁTIS e sempre será!.

CADASTRE-SE